NOTÍCIAS

Ações bem indicadas

06/06/2018

Após um maio de alta do dólar, queda da bolsa e disparada dos juros, empresas que têm mais exposição ao exterior foram privilegiadas na seleção da Carteira Valor de junho, bem como aquelas que costumam não decepcionar pelos fortes resultados operacionais.

Suzano ON, um dos raros papéis que subiram no mês passado, lidera a seleção de junho, com cinco recomendações. É seguido por Vale ON (4). Além de Petrobras PN, Itaú Unibanco PN, B3, Gerdau, Magazine Luiza ON, Klabin Unit e IRB Brasil ON, apareceram com três menções cada. O fim da lista traz Raia Drogasil ON, com duas.

A Suzano tende a se aproveitar de um ciclo positivo para os preços da celulose no curto e médio prazo. Além disso, a expectativa é que a aquisição da Fibria crie uma nova líder mundial do mercado de celulose. Segundo cálculos da Guide, a operação deve gerar ganhos de sinergias na casa dos R$ 10 bilhões. A corretora espera geração de caixa operacional mais forte em 2018, o que pode contribuir para acelerar a desalavancagem financeira.

Para Ricardo Peretti, estrategista da Santander Corretora, grande parte da fusão já está nos preços, mas a justificativa para manter a ação é que a companhia é uma rara exceção que se beneficia com a alta do dólar, por possuir receita atrelada à moeda americana.

A Vale, que não figurava na seleção desde dezembro de 2017, foi a segunda mais indicada, sob a perspectiva de bons resultados operacionais e menor dependência do mercado interno do que seus pares.

"Somando a busca contínua de melhora operacional, com redução de custos e despesas, a tendência é que tenhamos evolução de caixa e equilíbrio em sua estrutura de capital", escreveu a Magliano na sua justificativa de investimento. Segundo a corretora, a Vale sinaliza menor ênfase em novos investimentos ou maior distribuição de dividendos reforçada por uma condição mais robusta financeiramente. Para a casa isso também possibilita a compra de ativos de qualidade para diversificar sua dependência do minério de ferro.

Outra empresa que pode se beneficiar do cenário externo é a Gerdau, que possui plantas nos EUA, após a decisão de Donald Trump de taxar a importação de aço e alumínio. Sabrina Cassiano, da Coinvalores, diz que a "melhora operacional no primeiro trimestre deve ganhar consistência ao longo do ano, tanto pelo mercado doméstico quanto pelo externo".

A presença internacional da Klabin também justificou a escolha da ação pela Elite Investimentos. Segundo sua análise, os resultados dos últimos trimestres têm mostrado que a empresa tem flexibilidade e capacidade de adaptação às mudanças do mercado.

Para saber mais caminhos interessantes para investir neste momento, entre em contato com seu consultor InterInvest.


FONTE: http://www.valor.com.br/financas/5566623/no-mes-suzano-lidera-indicacoes-entre-exportadoras

Entre em contato