NOTÍCIAS

Crédito atrelado ao câmbio cresce

06/06/2018

Quase 70% das operações de crédito garantidas pelo Tesouro Nacional estão atreladas à taxa de câmbio. No primeiro quadrimestre deste ano, o saldo devedor das garantias concedidas a operações de crédito somaram R$ 239,523 bilhões, sendo que a maior parte, R$ 158,846 bilhões (66,3%), é vinculada à variação cambial.
O saldo total subiu em relação ao último quadrimestre do ano passado devido à forte desvalorização do real. Antes, o saldo era de R$ 233,3 bilhões, sendo R$ 151,3 bilhões (64,8%) atrelados ao dólar. A preocupação do governo é que, com o aumento da dívida indexada ao câmbio, o risco de calote pelos beneficiários como Estados, municípios, estatais federais, bancos federais e entidades controladas também possa crescer.

O coordenador-geral de controle de pagamento da dívida, André Proite, ponderou, no entanto, que o risco da desvalorização do real está sendo acompanhado e já foi incorporado aos cenários do Plano Anual de Financiamento (PAF) da dívida.
Segundo Proite, a incorporação de novas informações ao relatório de garantias concedidas pelo Tesouro pode ajudar reduzir prejuízo para o governo, diante do cenário que terá mais informações para avaliação da situação de endividamento dos Estados. O relatório do Tesouro mostra que 8,2% do saldo devedor das operações de créditos garantidas vencerão em até 12 meses. O grosso dos vencimentos (59,1%) tem um prazo superior a cinco anos.

O Estado com maior volume de crédito com garantia da União é o Rio de Janeiro, que faz parte do Regime de Recuperação Fiscal (RRF), com R$ 35,594 bilhões. Em seguida, aparece São Paulo com uma dívida garantida de R$ 28,2 bilhões e Minas Gerais com R$ 21,641 bilhões. Em 2018, até o dia 30 de abril, o Tesouro teve que desembolsar R$ 770 milhões por empréstimos que não foram pagos, sendo R$ 743,51 milhões para honrar dívida do governo do Estado do Rio.

Com estes dados em mãos, um especialista tem boa ideia sobre caminhos que deve ou não seguir para um investimento inteligente. Quer saber mais? Entre em contato com seu consultor InterInvest.

FONTE: https://www.pressreader.com/brazil/valor-econ%C3%B4mico/20180605/282003263114396   

Entre em contato