NOTÍCIAS

Revolucionando as finanças

23/01/2019

Cinco bilhões a mais por ano. Este é o rendimento líquido (já livre de imposto de renda) que 50 milhões de brasileiros que investem na poupança teriam caso retirassem o valor que atualmente recheiam a caderneta e aplicassem em títulos com rendimento de 100% do CDI atual.

O cálculo foi feito por Guilherme Benchimol, CEO e fundador do Grupo XP, a partir de dados da poupança do Banco Central. Benchimol lembra, ainda, que o resgate dos valores investidos em títulos públicos poderia ser realizado em qualquer momento, já que não existe a prática de “data de aniversário” aplicada na caderneta.

Na prática, a poupança, com seu rendimento pífio e com apenas um dia por mês para saques, funciona como uma espécie de distribuição de renda ao contrário: a maior parte das pessoas, por insegurança, deixa seus investimentos na poupança e acaba por beneficiar mais os distribuidores do produto”, diz Benchimol, em seu LinkedIn.

Foi com o intuito de permitir que um número maior de pessoas tenha acesso a investimentos mais rentáveis que Benchimol criou, em 2001, a XP, que se tornaria uma das maiores empresas de investimentos do país – com mais de 800 mil clientes e R$ 200 bilhões sob custódia.
Benchimol participou do programa Explica Ana, apresentado por Ana Laura Magalhães, para falar sobre sua trajetória – e sobre como a XP vem contribuindo para revolucionar o comportamento financeiro nos brasileiros.

Na conversa, Benchimol disse que, para o cliente, é cômodo investir no banco em que tem conta, mas que ele perde dinheiro fazendo isso, porque o gerente nem sempre oferece as melhores opções. "Essa comodidade custa muito caro", disse. Ele lembrou ainda que, desde o Plano Real, o juro no Brasil sempre foi muito alto, o que ajudou a criar essa tendência do investimento pelo banco. Mas isso vem mudando.

Quando as pessoas pensam em investimento, ainda evocam a figura do gerente de banco. "Ele [gerente] é bem intencionado, mas não tem a estrutura para oferecer o melhor investimento", afirmou. "Quando você está em um shopping de investimento como a XP, ele [assessor de investimento, responsável pelo contato com o cliente] é avaliado por qualidade, e não por vendas, e tem disponível todos os ativos para oferecer o melhor", compara.

"No mundo todo, quando se fala em investimentos, não se pensa em um banco comercial, mas numa casa independente, como a XP [...] No mundo inteiro, se você quer investir, você precisa tomar um pouco de risco e pensar no longo prazo. Mas, no Brasil, as pessoas pensam muito no curto prazo", declarou Benchimol.

Banco XP
Durante o programa, o CEO do Grupo XP foi questionado sobre a recente aprovação para a criação do Banco XP. Ele explicou que o grupo não está se transformando em um banco.
Benchimol disse que o cliente da XP, hoje, precisa necessariamente ter uma conta em banco, porque a XP não consegue oferecer serviços bancários, como conta corrente e TED. "Queremos oferecer outros serviços que possam fidelizar o cliente e permitir que ele corte o cordão umbilical que tem com o banco e concentre tudo com a gente", revelou.

O plano é que o banco ofereça também linhas de crédito mais baratas. "Como o cliente tem investimentos com a gente, o banco não vai ter riscos. Vamos emprestar em função do patrimônio que o cliente tem aqui dentro", explicou Benchimol. "A beleza disso é que o cliente vai ter uma taxa muito mais barata, tenho certeza que vai ser a taxa mais barata do mercado", ressaltou.

Por conta disso, o executivo acredita que o cliente vai conseguir alongar seus investimentos. "Ele sabe que, se tiver uma emergência de curto prazo, poderá contar com o banco que vai emprestar a uma taxa muito barata".

"Não estamos mudando nossa vocação. Pelo contrário. Queremos começar a agregar outros serviços que possam melhorar a experiência do cliente dentro da XP", concluiu Benchimol.
Gostou da matéria? Venha para a Interinvest, parceira da XP Investimentos.

FONTE: https://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7878836/como-revolucionar-as-financas-dos-brasileiros-segundo-guilherme-benchimol

Entre em contato