CONTEÚDO

Deixe nossos especialistas ajudarem você a montar seu plano de sucesso.
CONVERSE COM UM ESPECIALISTA

Diversificação de investimentos: por que você precisa considerar essa estratégia?

28/09/2021

A diversificação de investimentos é uma estratégia recomendada pela maioria dos profissionais por grandes investidores do mercado. Afinal, ela é importante para diminuir os riscos atrelados aos investimentos. Além disso, pode potencializar a rentabilidade da carteira.
Apesar de o conceito ser simples, aplicar a diversificação de investimentos na prática requer conhecimento de mercado. Por isso, é fundamental que o investidor entenda os pontos mais relevantes sobre esse assunto.
Pensando nisso, a seguir você conhecerá a diversificação de investimentos, como ela funciona e por que considerar essa estratégia. Confira!

O que é a diversificação de investimentos?

A diversificação de investimentos é uma estratégia adotada para proteção da carteira e potencialização de resultados. Ela consiste em pulverizar o capital investido em alternativas diferentes do mercado financeiro.
Nesse sentido, a ideia é não ficar atrelado apenas a um risco ou um investimento — o que poderia trazer perdas proporcionalmente maiores. Assim, a estratégia de se expor a diferentes riscos protege os investidores.
A dinâmica dessa estratégia é simples: quando todo o capital investido está atrelado a uma única alternativa — e, consequentemente, aos mesmos riscos —, eventuais ganhos e perdas ficam dependentes desse investimento. Se houver bons resultados com o investimento, a carteira será beneficiada.
Mas, em momentos de instabilidades ou mudanças de cenário, por exemplo, todo seu patrimônio estará exposto às mesmas condições. Por outro lado, caso o capital investido seja diluído em diversos mercados, classes e setores, esse mesmo movimento de queda afetará apenas uma parte da carteira.
Com isso, outros investimentos podem se manter estáveis ou mesmo se valorizarem por seus próprios movimentos. Consequentemente, as perdas decorrentes de um risco podem ser compensadas pelos outros investimentos, trazendo mais estabilidade ao portfólio.

Como a estratégia funciona?

Você já entendeu que a diversificação de investimentos consiste em aportar em alternativas variadas. No entanto, existem diversos detalhes sobre o funcionamento dessa estratégia que são fundamentais para aumentar as chances de bons resultados.
Por exemplo, é importante saber que a diversificação não depende apenas da escolha de investimentos diferentes. Ela diz respeito aos riscos atrelados a eles — que podem ser iguais ou muito parecidos, mesmo em alternativas distintas.
Imagine o investimento em ações. Se você comprar papéis da empresa X e da empresa Y, está realizando aportes em alternativas diferentes, certo? No entanto, se essas companhias pertencerem à mesma área, o risco setorial é o mesmo.
Apesar de existirem riscos diferentes entre elas, pois se tratam de empresas diferentes, uma crise naquele setor afetará os dois papéis. Então, para diversificar esse risco e compensá-lo, é necessário escolher empresas de diferentes setores do mercado.
Vale ressaltar que isso também vale para a renda fixa. Aportar em títulos diferentes, mas vinculados ao mesmo índice não trará uma diversificação real. Nesse sentido, é preciso considerar a qual risco a alternativa está exposta para conseguir diversificar de maneira descorrelacionada.

Qual é a importância da diversificação de investimentos?

Apesar de ser uma estratégia muito recomendada por profissionais e pessoas experientes no mercado de investimento, muitos investidores ainda não entendem por que considerar a diversificação.
O primeiro benefício da diversificação você já conheceu. Pulverizar o capital investido em diversos riscos é importante para que movimentações do mercado, crises em determinados setores ou perdas advindas de um ativo específico não comprometa toda a carteira.
Outra vantagem, como você viu, é que, ao diminuir o impacto das perdas na carteira, também se pode potencializar a rentabilidade total do portfólio. Ou seja, se um risco específico afeta uma proporção menor da carteira do investidor, a rentabilidade total poderá ser maior — especialmente no longo prazo.
Isso acontece porque o portfólio será melhor balanceado. Além disso, ao controlar os riscos gerais, você pode ter ativos mais arrojados sem necessariamente abrir mão da segurança. Logo, pode aumentar o potencial de retorno da carteira.
Naturalmente, a rentabilidade será sempre um fator exposto às oscilações, principalmente em uma carteira voltadas à renda variável. Então a diversificação não é uma garantia de lucros. Entretanto, há um potencial de melhores resultados — que pode ou não se realizar.

Como investir de forma diversificada?

Agora que você já entendeu por que é importante considerar a diversificação, é o momento de saber como investir com uma estratégia diversificada. Para isso, não basta escolher alternativas arbitrariamente.
Para facilitar a aplicação dessa estratégia com sucesso, confira os principais fatores que você deve considerar!

Definir objetivos financeiros e ter um bom planejamento

Um passo central para começar a investir de forma diversificada é definir seus objetivos financeiros. Afinal, seus investimentos devem servir para alcançar sonhos e metas — portanto, eles são o ponto de partida de qualquer decisão.
Nesse contexto, seus objetivos devem ter prazos e valores definidos. Dessa maneira, você conseguirá montar um planejamento de investimentos para alcançá-los de forma concreta. São essas informações que guiarão sua estratégia.
Então saiba o que você quer alcançar e quanto precisa para cada realização. A partir disso, você encontrará alternativas de investimentos diversificadas que podem ser adequadas a esses objetivos e alinhadas ao seu perfil de investidor.

Buscar alternativas sem correlação

Como você viu, a diversificação não diz respeito somente ao tipo de investimento, mas sim aos riscos a que eles estão atrelados. Por isso, é preciso que você busque alternativas que sejam descorrelacionadas.
A descorrelação trata de investimentos que não compartilham dos mesmos riscos ou não serão impactados por ele da mesma forma. Como o exemplo das ações de empresas de setores diferentes, há descorrelação do risco setorial entre elas.
Ainda, quem busca um balanceamento e proteção do capital pode optar por alternativas com correlação negativa. Ou seja, quando um investimento tem o movimento de queda, o outro costuma apresentar valorização.
É o que, historicamente, acontece com a bolsa de valores brasileira e o dólar. Você há observou que, quando a bolsa brasileira tem uma desvalorização, a moeda americana costuma valorizar — e vice-versa?
Embora não haja consenso sobre o movimento, é comum que essa correlação negativa apareça com frequência no mercado. Outro caso é o ouro — que costuma se valorizar em momentos de queda do mercado acionário, e vice-versa.

Contar com uma assessoria de investimentos

A assessoria de investimentos é um serviço vinculado às corretoras de valores e prestado por profissionais do mercado financeiro. Ela tem o objetivo de dar suporte aos investidores, explicando o funcionamento do mercado e de alternativas e esclarecendo dúvidas.
O assessor não indicará investimentos aos seus clientes, mas poderá contribuir com informações necessárias para que você tome decisões adequadas aos seus objetivos. Dessa maneira, poderá apresentar ativos e títulos descorrelacionados para auxiliar na composição do seu portfólio.
Conseguiu entender por que você precisa considerar a diversificação de investimentos na sua carteira? Se você tiver dúvidas sobre quais alternativas escolher para diversificar o portfólio, não deixe de contar com o suporte do assessor de investimentos!
Ficou interessado em ter uma assessoria de qualidade ao investir? Então conte com a Interinvest!