CONTEÚDO

Deixe nossos especialistas ajudarem você a montar seu plano de sucesso.
CONVERSE COM UM ESPECIALISTA

Entenda os diferentes tipos de fundos de investimentos do mercado

03/10/2021

Na hora de compor sua carteira de investimento, investir em ativos individuais não é a única opção. Com os diferentes tipos de fundos de investimentos, você tem acesso a alternativas variadas, com riscos e oportunidades distintas.
No geral, o investimento em fundo permite ampliar a diversificar de modo fácil. Além disso, pode ser uma escolha tanto para quem começa agora no mercado quanto para quem já tem experiência, mas busca praticidade.
Para entender quais são as possibilidades disponíveis, saiba mais sobre eles e conheça os principais tipos de fundo do mercado!

O que são fundos de investimento?

Antes de conhecer as classificações específicas, vale a pena aprender como todo e qualquer fundo funciona. Na prática, essa é uma modalidade de investimento coletiva. Ou seja, que costuma envolver diversos investidores ao mesmo tempo.
Para investir em um fundo, você precisa comprar cotas de investimento. Quanto mais cotas adquirir, maior será a sua participação nos resultados. Os ganhos são obtidos pela valorização dos ativos do portfólio do fundo e pela venda das cotas por um preço acima do preço de compra.
Outra característica essencial é que os recursos captados pelo fundo são movimentados por um gestor. Esse profissional decide onde alocar o dinheiro e realiza as operações — tudo com base na estratégia de investimento definida.

Quais são os principais tipos de fundos de investimentos?

Agora que você tem uma ideia sobre o funcionamento geral, vale a pena conhecer cada tipo de fundo individualmente Entre as opções, existem fundos de renda fixa e de renda variável, com diferentes níveis de risco.
A seguir, veja os principais tipos de fundos disponíveis no mercado!

Fundo de renda fixa

Os fundos de renda fixa são aqueles que investem a maior parte dos recursos em títulos e aplicações dessa classe. Porém, como há uma variedade de produtos na renda fixa, os fundos desse tipo têm outras subdivisões.
Os fundos referenciados DI, por exemplo, investem a maioria do dinheiro em títulos públicos pós-fixados. Já os fundos de debêntures direcionam a maior parte dos recursos para títulos de dívidas de empresas.
Os fundos de inflação, por sua vez, focam em títulos híbridos que tragam ganhos acima da inflação. Em todos os casos, os fundos de renda fixa são encontrados na plataforma de investimento da corretora de valores.

Fundo de ações

Já os fundos de ações fazem parte da renda variável. Nesse caso, a maior parte dos recursos deve ser investida em ações, opções de ações, bônus de ações, direitos de subscrição, debêntures conversíveis e outros.
Esse fundo pode adotar diversas estratégias, como:
  • long & short: opera comprado e vendido, simultaneamente;
  • long only: opera apenas comprado;
  • long biased: opera comprado na maioria das vezes, mas pode operar vendido.
Isso significa que existem fundos de ações que realizam a chamada venda a descoberto, em busca de mais rentabilidade no mercado. No geral, esses fundos são encontrados nas plataformas das corretoras de investimento e podem ter riscos diferentes.

Fundo de índice

Os fundos de índice também são conhecidos como exchange traded funds ou ETFs. Nesse caso, a carteira de investimento é criada pela replicação de um índice de mercado. Então a ideia é investir nos mesmos ativos e nas mesmas proporções que o indicador escolhido.
Portanto, ele tem a chamada gestão passiva, já que não existe uma efetiva tomada de decisão do gestor quanto ao direcionamento dos recursos. Ao final, o resultado do ETF, antes de taxas e impostos, é equivalente ao do índice selecionado.
Existem ETFs de índices de renda variável (como de ações) e indicadores de renda fixa. Contudo, todos eles são considerados de renda variável, pois as cotas dos fundos desse tipo são negociadas na bolsa de valores.

Fundo imobiliário

Os fundos de investimentos imobiliários (FII) preveem a alocação da maior parte dos recursos em ativos ligados ao setor de imóveis. São de três tipos:
  • fundos de papel: investem em títulos e certificados do mercado imobiliário;
  • fundos de tijolo: investem em imóveis físicos;
  • fundos de fundos: investem na compra de cotas de outros FIIs.
Um dos diferenciais é que eles preveem a distribuição de dividendos. Por lei, os FIIs devem distribuir a maior parte do lucro proporcionalmente entre os cotistas e de forma regular. Assim como os ETFs, as cotas deles estão na bolsa de valores.

Fundo cambial

Os fundos cambiais são compostos por ativos e derivativos ligados a moedas estrangeiras. Com isso, os resultados estão atrelados às variações cambiais que ocorrem no mercado.
Eles são uma alternativa de investimento para quem deseja buscar lucros com a valorização de uma moeda estrangeira ou para quem pretende se proteger da oscilação cambial. Portanto, pode ser um instrumento de hedge.

Fundo multimercado

Os fundos multimercados são aqueles que não são obrigados a seguir regras específicas quanto à distribuição de recursos. Logo, podem investir em renda fixa e/ou variável, em proporções distintas.
Cada fundo multimercado tem a própria estratégia, que prevê regras de alocação e formas de reagir ao mercado. Portanto, os riscos são variados. Na hora de investir, você encontra essas alternativas no portfólio da corretora.

Fundo internacional

Os fundos internacionais priorizam o investimento em ativos do exterior. Eles também são influenciados pela moeda estrangeira e permitem que o investidor se exponha a resultados do mercado externo de forma diversificada.
Cada fundo internacional adota uma estratégia específica para a composição da carteira de investimento. Por isso, os riscos variam do mesmo modo. Eles também são encontrados na plataforma da corretora de valores.

Qual fundo de investimento escolher?

Como você viu, os diferentes tipos de fundos de investimentos têm características específicas. Na hora de investir, é preciso considerar seu perfil de investidor (e a consequente tolerância ao risco) e seus objetivos financeiros.
Também vale a pena considerar que é possível investir em múltiplos fundos simultaneamente. Logo, você pode diversificar nos tipos que façam sentido para sua estratégia. Mas não deixe de avaliar a lâmina de cada fundo para conhecer seu funcionamento.
Com base nessas informações, agora você conhece os diferentes tipos de fundos de investimentos e sabe como eles funcionam. Ao analisar as suas preferências como investidor, é possível escolher aqueles que são mais adequados para a sua carteira.
Se quiser conhecer melhor as diversas oportunidades do mercado financeiro, entre em contato com a Interinvest e aproveite nosso serviço de assessoria!