CONTEÚDO

Deixe nossos especialistas ajudarem você a montar seu plano de sucesso.
CONVERSE COM UM ESPECIALISTA

Dividendos: o que são e como funcionam esses proventos?

03/11/2021

Você sabe o que são dividendos? Quando se fala em renda variável, é comum pensar nos ganhos com a valorização dos ativos. Entretanto, é possível obter lucros de outras formas e, até mesmo, viver de renda passiva — conquistando somas financeiras que não sejam fruto do seu trabalho direto.
Aliás, esse é um objetivo comum de diversos investidores. Mas, para isso, vale a pena conhecer mais sobre esses tipos de proventos. Assim, você terá informações para tomar decisões mais embasadas para compor a sua carteira.
Quer saber mais sobre os dividendos? Então acompanhe este post e aprenda como eles funcionam!

O que são dividendos?

Antes de entender o que são dividendos, é interessante conhecer outro termo muito utilizado no mercado: os proventos. Essa expressão se refere aos benefícios distribuídos pelas empresas aos seus acionistas, podendo ser de diferentes tipos.
Entre os proventos mais comuns estão os juros sobre capital próprio (JCP), bonificação, direito de subscrição e os dividendos. Vale destacar que os dividendos e os direitos de subscrição também podem ser distribuídos pelas gestoras nos fundos de investimentos imobiliários (FII).
Já os dividendos consistem em uma distribuição de parte dos lucros líquidos da empresa ou do FII. Ela é feita em dinheiro, de maneira proporcional à participação do investidor, considerando o número de ações ou de cotas.

Como os dividendos funcionam?

Agora que você já sabe o que são dividendos, é importante entender como eles funcionam. Nas empresas, os pagamentos devem ser aprovados pelo Conselho de Administração da companhia. Depois, devem ser comunicados à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Assim, informações referentes à distribuição e prazo de pagamento dos dividendos são compartilhadas com os acionistas. Nas ações, é comum que a distribuição seja de 25% dos lucros obtidos pela companhia. Entretanto, há empresas que pagam valores acima ou abaixo desse percentual.
Também existe a possibilidade de alteração da porcentagem ao longo dos anos. Em relação à frequência da distribuição, ela varia conforme as regras da empresa —e pode ser trimestral, semestral ou anual, por exemplo. Contudo, em caso de lucros, é preciso que a companhia faça ao menos uma distribuição anual.
No caso das empresas listadas na bolsa de valores brasileira (B3), tanto o percentual quanto a periodicidade dos pagamentos estão firmados no estatuto da companhia. Já nos FIIs, as informações constam na lâmina do fundo, com distribuição de, pelo menos, 95%.
Já a frequência mínima é semestral nos fundos imobiliários. Em todos os casos, os dividendos são pagos em dinheiro diretamente na conta da corretora de valores utilizada pelo investidor.

Como identificar quais empresas pagam dividendos?

Uma das maiores dúvidas de quem começa a alocar seus recursos em renda variável é saber como identificar quais empresas pagam dividendos. No caso das companhias listadas na B3, como você viu, o pagamento de dividendos é obrigatório caso haja lucros.
A Lei nº 6.404/76 define as regras gerais para distribuição de proventos. Contudo, embora exista a obrigatoriedade, o recebimento de dividendos depende de diversos fatores. Por exemplo, o percentual distribuído, se a empresa tem lucros e se os lucros não são reinvestidos.
Desse modo, para encontrar empresas que pagam dividendos interessantes é necessário prestar atenção em seu histórico e indicadores. O dividend yield (DY), por exemplo, relaciona o preço da ação com os dividendos distribuídos, permitindo avaliar como é a distribuição.
No entanto, tenha em mente que os resultados passados não garantem o desempenho futuro. Ademais, avaliar a própria companhia também pode trazer informações relevantes.
Empresas já consolidadas e que não têm uma política forte de expansão tendem a não precisar reinvestir lucros. Com isso, podem ser boas pagadoras de dividendos.
Portanto, vale fazer uma análise fundamentalista da companhia para avaliar os dados com maior precisão. Já no caso dos FIIs, o investidor pode conferir a lâmina do fundo e o histórico para avaliar o pagamento de dividendos e tomar uma decisão mais sólida.

Quando os dividendos são pagos?

Até o momento, você entendeu que, ao investir em ações e FIIs, poderá receber dividendos. Sendo assim, é importante saber quando esse pagamento é feito.
Nas ações, as distribuições são sinalizadas da seguinte forma:
  • data de declaração: dia em que a companhia divulga valores e prazos da distribuição de proventos aos investidores;
  • data de registro: dia em que a empresa registra os acionistas que estão na lista para receber dividendos;
  • data-com: dia limite para que os investidores interessados comprem as ações e recebam os proventos;
  • data ex-dividendos: após essa data, os investidores que comprarem os papéis não terão direito a receber os proventos previstos, pois a remuneração será paga ao antigo proprietário;
  • data de pagamento: data em que os dividendos são pagos aos acionistas.
Vale destacar que, em relação aos FIIs, é comum que a data-com e a data-ex estejam previstas nas lâminas.

Qual é a diferença entre dividendos e JCP?

Como você pôde entender, os proventos são benefícios concedidos aos acionistas ou cotistas. Assim, é comum que surjam dúvidas sobre as diferenças entre os dividendos e o JCP.
A primeira diferença é que os juros sobre capital próprio podem ser distribuídos apenas nas ações. Logo, não há JCP nos FIIs. Outro ponto que muda entre ambos é o momento da distribuição em relação ao pagamento de impostos.
O JCP é distribuído sobre o lucro bruto das empresas, ou seja, antes do pagamento de impostos. Então os investidores são responsáveis por arcar com o Imposto de Renda, com alíquota de 15% sobre o lucro, retido na fonte.
Já os dividendos são distribuídos sobre o lucro líquido — após o pagamento do IR pela empresa. Por essa razão, o investidor é isento de imposto.

É possível viver de dividendos?

Uma dúvida muito frequente de quem está começando a investir é a possibilidade de viver de dividendos. Será mesmo possível ter renda passiva a partir do recebimento desses proventos?
Nesse caso, saiba que eles podem ser utilizados como estratégia para compor a renda passiva. No entanto, é necessário acumular um patrimônio que possa trazer rendimentos suficientes para esse objetivo.
Para isso, você precisa ter uma carteira de investimentos que permita aumentar o seu patrimônio e gerar novos rendimentos. É necessário, ainda, ter o hábito de realizar aportes frequentes. Dessa maneira, há chances de receber, no futuro, uma quantia de proventos suficiente para suprir seu custo de vida.
Após entender o que são dividendos e como funcionam, fica mais fácil compreender como é possível viver de proventos. Se você tem interesse em investir, não se esqueça de considerar o seu perfil de investidor e objetivos para tomar as melhores decisões.
Quer aprender mais sobre o mercado financeiro? Entre em contato conosco da Interinvest e esclareça as suas dúvidas!